115 anos: Bayer comemora mais um marco de sua história no Brasil

Nesse ano, a Bayer comemora mais um marco de sua história: 115 anos de presença no Brasil. Em 1896, quando iniciou suas operações no Brasil, logo após a proclamação da república, a Empresa era uma representação da Bayer alemã e contava apenas com dois consultores técnicos no Rio de Janeiro – F. Appelt e A. Rusterholz. Desde então, o crescimento sempre foi constante, e a Bayer tornou-se uma das mais expressivas indústrias alemãs no Brasil.

No início, a representação apenas distribuía produtos da Bayer da Alemanha para o mercado brasileiro e, com o tempo, a Empresa cresceu, se desenvolveu, e deu seu grande passo rumo ao sucesso com o início da produção local de medicamentos, em 1921, como a Aspirina® e a CafiAspirina®.

Em 1922, a empresa contratou o publicitário e poeta Bastos Tigre, que criou a frase: "Se é Bayer, é bom", que acabou sendo traduzida para o espanhol e usada nos países da América Latina, tornando-se um dos slogans de maior sucesso da propaganda brasileira.

O marketing da Bayer no Brasil sempre foi inovador e nos anos 30 a Empresa promovia sessões de “Cinema Sonoro” em nome do produto CafiAspirina®, além de criar os furgões Bayer, carros estampados com a marca Bayer que foram importantes para a visibilidade da Empresa naquela época. Esses furgões circularam pelo Brasil até os anos 50 e marcaram a criatividade da propaganda da Bayer no país.

Em 1956, a Empresa adquiriu a Companhia de Ácidos, uma antiga fábrica instalada em um terreno no distrito de Belford Roxo, no Rio de Janeiro. O que hoje é um complexo industrial de cerca de 2 milhões de m2, na época começou com quatro fábricas para produção de anilinas, químicos intermediários, derivados de cromo e defensivos agrícolas. A unidade foi inaugurada em junho de 1958, com a presença do então presidente da república, Juscelino Kubitschek, do governador do Rio de Janeiro, Miguel Couto Jr e do presidente mundial da Bayer na época, Prof. Dr. Ulrich Haberland.

Nos anos 60, houve uma reestruturação organizacional na Empresa e as unidades fundiram-se passando a atuar sob o nome Bayer do Brasil Indústrias Químicas. Na época também foi comprado o terreno no bairro de Socorro, em São Paulo, para onde seria transferida a sede administrativa da Empresa em 1973, uma inauguração que contou com a presença do então governador do estado de São Paulo, Laudo Natal.

Um dos importantes marcos do progresso da Bayer no Brasil, a criação da unidade de multipropósito de poliuretano (MDI), foi iniciado em agosto de 1979, em Belford Roxo. A operação era responsável pela produção de três grupos de produtos: poliéteres de cadeias longas e curtas, isocianatos modificados e formulações. O projeto teve um grande significado estratégico para a Bayer, pois serviu de base para a produção atual de poliuretano.

Na década de 80, a Bayer realizou importantes investimentos que iriam consolidar suas operações no Brasil. Além de melhorias no projeto de MDI na unidade de Belford Roxo, a Empresa investiu na fabricação de ácido sulfúrico, borracha e defensivos agrícolas.

Na cidade de São Paulo, em 1999, foi inaugurada uma nova fábrica de produtos farmacêuticos, com investimento de cerca de US$ 25 milhões em tecnologias e equipamentos modernos de padrão internacional.

Com tudo isso, na entrada do novo milênio, o Grupo Bayer passou por uma grande reestruturação, na qual foi criada a holding que controlava quatro empresas comerciais: HealthCare, Bayer CropScience, Bayer Chemicals e Bayer Polymers, que em 2003 passou a ser chamada de Bayer MaterialScience. Ainda como parte da estratégia de reestruturação, o Grupo Bayer comprou a área de Consumer Health da Roche em janeiro de 2005 e em 2006, a compra da Schering, por 17 bilhões de euros, a maior aquisição da história do Grupo Bayer.

Em 2010, a Bayer Brasil foi a quinta maior filial da Bayer no mundo e, com foco no crescimento sustentável, visa ter mais séculos de sucesso no país.