Cidades mais inteligentes do País foram conhecidas nesta segunda

Cidades mais inteligentes do País foram conhecidas nesta segunda

Uma pesquisa inédita listou as cidades mais inteligentes do Brasil e elegeu o Rio de Janeiro (RJ) como referência no ranking geral dos municípios com mais de 500 mil habitantes
Data da publicação: 04/08/2015
Foi conhecido ontem (3), durante o evento Connected Smart Cities, em São Paulo, o resultado de uma pesquisa inédita que listou as cidades mais inteligentes do Brasil e elegeu o Rio de Janeiro (RJ) como referência no ranking geral dos municípios com mais de 500 mil habitantes. A segunda colocada foi a cidade de São Paulo (SP), que também liderou o segmento de Mobilidade. Além dos prefeitos das cidades premiadas, gestores, representantes do setor público e empresários, destaque para a presença do secretário Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana, Dario Lopes.
 
Para Lopes, o grande universo brasileiro está ainda distante das práticas sustentáveis mais sofisticadas.”Mas isso não justifica que o processo não esteja em curso”. Quem também defendeu a importância das boas práticas foi o prefeito de Florianópolis, César Souza Júnior, que ficou em oitavo lugar. “O ranking mostra nosso posicionamento frente ao país, mas não menos importante é termos referenciais de boas práticas. Há  projetos de outras cidades que vou querer conhecer mais”, disse.
 
Pedro Paulo Carvalho Teixeira, secretário de Coordenação de Governo do Rio de Janeiro, disse estar orgulhoso por representar uma cidade “equilibrada, que fez a sua lição de casa e tem capacidade de investimento da ordem de 38 milhões de reais para aplicar em saúde e infraestrutura”. Ainda de acordo com Teixeira, a cidade está  sempre procurando conversar com os munícipes e engajá-los. “Nós entendemos que estas medidas vão fazer do Rio uma cidade inteligente, com cariocas inteligentes”.
 
“Nós estamos em busca de uma cidade mais humana e sustentável”, afirmou o prefeito de Curitiba (quinta colocada no ranking e primeira no tema governança), Gustavo Fruet. Segundo ele, seu governo busca a parceria das universidades e da sociedade para seguir e melhorar a gestão da saúde com várias iniciativas. “Estamos trabalhando muito com as mídias sociais, com geo-referenciamento, entre outras ações”.
 
Para o Secretário de Transporte de São Paulo, Jilmar Tatto, quando o assunto é tecnologia, os prefeitos precisam debater sobre as tecnologias proprietárias, que as tornam escravas da TI. De acordo com Tatto, na capital paulista, foram proibidos os protocolos fechados para que possa existir concorrência. “Buscamos democratizar e criar livre concorrência. Em São Paulo, por exemplo, não faltam vias, precisamos é  democratizar mais o espaço público, com transporte público de qualidade, ciclovias e mais  atenção ao pedestre”.
 
Pesquisa – Com o objetivo de identificar fatores relevantes para o crescimento sustentável dos municípios e apontar as cidades brasileiras com maior potencial de desenvolvimento, o Ranking Connected Smart Cities, elaborado pela Sator e a empresa Urban Systems, mapeou 700 municípios para poder classificar os 50 mais desenvolvidos em um ranking geral, além de duas subdivisões: a primeira por faixa populacional – até 100 mil habitantes, de 100 mil a 500 mil e acima de 500 mil habitantes – e, a segunda por segmento, que apontou as cinco melhores nos quesitos mobilidade, urbanismo, economia, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, saúde, segurança, educação, governança e empreendedorismo.
 
O presidente da Urban Systems, Thomaz Assumpção, acredita que o projeto poderá despertar no poder público e iniciativa privada novas maneiras de perceber as cidades. “É preciso que representantes tenham consciência dos investimentos e aprimoramentos que devem ser realizados nas diversas áreas mapeadas”. A diretora da Sator, Paula Faria, corrobora o fato de que o Ranking é um importante indicador e ressalta a importância do seminário para a difusão de ideias. “Ao propor soluções, expor cases de sucesso e discutir caminhos inteligentes, o Connected Smart Cities incentiva o desenvolvimento urbano”, pontua.
 
Confira o Ranking geral abaixo:
 
Rio de Janeiro (RJ)
     29,99
São Paulo (SP)
     29,36
Belo Horizonte (MG)
     28,91
Brasília (DF)
     28,34
Curitiba (PR)
     28,10
São Caetano do Sul (SP)
     28,09
Vitória (ES)
     28,01
Florianópolis (SC)
     26,56
Porto Alegre (RS)
     26,05
10º
Recife (PE)
     25,76
11º
Santos (SP)
     25,61
12º
São José dos Campos (SP)
     25,15
13º
Uberlândia (MG)
     25,09
14º
Ribeirão Preto (SP)
     25,05
15º
Nova Lima (MG)
     25,04
16º
Maringá (PR)
     25,04
17º
Niterói (RJ)
     24,76
18º
Fortaleza (CE)
     24,60
19º
Jundiaí (SP)
     24,56
20º
Barueri (SP)
     24,47
21º
Campinas (SP)
     24,44
22º
Uberaba (MG)
     24,15
23º
Ilha Solteira (SP)
     24,06
24º
Goiânia (GO)
     23,89
25º
Amparo (SP)
     23,84
26º
Balneário Camboriú (SC)
     23,78
27º
Campo Grande (MS)
     23,68
28º
Piracicaba (SP)
     23,68
29º
João Pessoa (PB)
     23,65
30º
Macaé (RJ)
     23,50
31º
Salvador (BA)
     23,47
32º
Contagem (MG)
     23,40
33º
Aracaju (SE)
     23,40
34º
Osasco (SP)
     23,38
35º
Teresina (PI)
     23,20
36º
Valinhos (SP)
     23,18
37º
São Bernardo do Campo (SP)
     23,15
38º
Santo André (SP)
     23,08
39º
Pato Branco (PR)
     23,07
40º
Goiatuba (GO)
     23,03
41º
São João da Boa Vista (SP)
     22,98
42º
São Carlos (SP)
     22,97
43º
Juiz de Fora (MG)
     22,97
44º
Guarulhos (SP)
     22,94
45º
Votuporanga (SP)
     22,92
46º
Marília (SP)
     22,91
47º
Indaiatuba (SP)
     22,88
48º
Araraquara (SP)
     22,84
49º
Ipatinga (MG)
     22,82
50º
Betim (MG)
     22,76

 

Fonte: Conected Smart Cities
CLSW 105 - bl. A - salas 104 a 106 / Sudoeste - Brasília-DF - 70670-431 - (61) 3234.6282