Goiânia sedia 10º CertForum

Goiânia sedia 10º CertForum

O Fórum de Certificação Digital foi realizado pela primeira vez na cidade
Data da publicação: 14/06/2012
O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) realizou, nesta quinta-feira (14), a Etapa Centro-Oeste do 10º CertForum. O Fórum de Certificação Digital foi realizado pela primeira vez na cidade de Goiânia. O evento, que ocorreu no auditório do Mercure Goiânia Hotel, conta com a organização da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia em Identificação Digital (ABRID) e recebeu grande público durante os trabalhos.
 
No primeiro painel de debates, o presidente do ITI, Renato Martini, iniciou seu discurso destacando os benefícios ambientais que a utilização de tecnologias, como a do certificado digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil, propõe e promove de maneira simultânea novas e futuristas culturas. “As tecnologias já demonstraram sua capacidade de racionalização do uso de insumos. O documento eletrônico tem esse viés e exemplos não nos faltam, como a compensação de cheques por imagem que utiliza certificados digitais ICP-Brasil, por exemplo. Os estados brasileiros devem apropriar-se dessas tecnologias que desmaterializam processos, desburocratizam a máquina pública e colaboram na geração de economias diversas”, ressaltou.
 
Também participaram da abertura do 10º CertForum o coordenador-Geral de Inovações Tecnológicas da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI/MPOG), César Augusto de Azambuja Brod, o superintendente da Tecnologia da Informação do Governo de Goiás, Gustavo de Pina Dias Adorno, e o diretor de Desenvolvimento Tecnológico da Agência Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Sergio Kafuri.
 
ICP Brasil
No segundo painel de debates, o tema “ICP-Brasil em números e o projeto piloto de Biometria” foi apresentado pelo diretor de Auditoria, Fiscalização e Normalização, Pedro Paulo Lemos Machado, e pelo assessor da presidência, Edardo Lacerda, ambos membros do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).
 
“Estamos certos de que a tecnologia ICP-Brasil está consolidada como uma das mais seguras e modernas do mercado. Goiânia é uma cidade que muito em breve sediará uma das Autoridades Certificadoras de 1º nível, a Soluti Certificadora Digital, que já está com seu processo de credenciamento bastante avançado”, destacou Pedro Paulo Lemos Machado.
 
Cases de sucesso
Durante o evento, a Caixa Econômica Federal palestrou sobre o Conectividade Social ICP, canal de relacionamento eletrônico que permite a empresas, escritórios de contabilidade, instituições financeiras, superintendências regionais do trabalho, sindicatos, prefeituras e outros realizarem a transmissão de dados referentes ao FGTS para a CEF.
 
De acordo com o gerente nacional do FGTS, Henrique José Santana, atualmente a CEF administra cerca de 700 milhões de contas ativas do programa do fundo de garantia. “Embora o número seja maior do que a quantidade de habitantes no Brasil, o mesmo trabalhador pode ter mais de um vínculo com o FGTS, o que explica essa volume. A certificação digital ICP-Brasil favorece às melhores práticas na administração de um banco de dados tão grande, promovendo mais segurança tecnológica e respaldo jurídico”, destacou.
 
Já a coordenadora do Grupo de Trabalho de Certificação Digital da Federação Brasileira dos Bancos – Febraban, Francimara Viotti,  ministrou palestra sobre a modernização da compensação de cheques por imagem que passou a utilizar a certificação digital no padrão da ICP-Brasil na tramitação dos dados. Segundo a coordenadora, o projeto já apresenta resultados bastante consideráveis como a otimização das rotinas de compensação, logística e fidedignidade.
 
“Defendemos a utilização do certificado digital ICP-Brasil. Trata-se de uma ferramenta segura, moderna e que inibe fraudes ao sistema financeiro nacional. E quando falamos de fraudes, nos referimos ao prejuízo que não é pago apenas pelas bancos, mas pelo Brasil inteiro. O dinheiro desviado é utilizado pelo crime organizado para comprar armas, promover o tráfico de drogas e outras atividades ilegais. Evitar fraudes é garantir a segurança de todos”, destacou.
 
Fonte: ITI
CLSW 105 - bl. A - salas 104 a 106 / Sudoeste - Brasília-DF - 70670-431 - (61) 3234.6282